domingo, 16 de maio de 2010

Conexão com "Deus": Ronnie James Dio

O Heavy Metal está de luto. O vocalista Ronnie James Dio (Ronald James Padavona) morreu na manhã deste domingo (16 de maio), aos 67 anos, após perder a luta contra um câncer estomacal.

A morte de Dio, que ficou mundialmente famoso por cantar em bandas como ELF, Rainbow, Black Sabbath e Heaven & Hell, foi confirmada por sua esposa e empresária, Wendy Dio. "Hoje meu coração está partido, Ronnie morreu às 7h45. Muitos amigos e familiares puderam dizer adeus antes dele morrer pacificamente", postou Wendy no site oficial de Dio (ronniejamesdio.com).

No mesmo comunicado, a esposa de Dio diz que ele sabia o tanto que todos o amavam e agradece o apoio desde que o vocalista soube da doença, em novembro de 2009. "Por favor nos deem alguns dias de privacidade para lidarmos com essa terrível perda. Por favor saibam que ele os amava e sua música vai viver para sempre", finalizou Wendy Dio.


MINHA CONEXÃO COM DIO
Quando peguei aquela nova edição do fanzine do fã-clube de Heavy Metal Rock Brigade, em meados de 1984, pensei: "Que legal, o Dio ficou entre os primeiros na votação dos melhores do ano. Acho que vou escrever para ele pedindo uma foto autografada." A ingenuidade do ato de um fã, que começou a ouvir Heavy Metal justamente por causa do Black Sabbath, falou mais alto.

Estudava inglês e redigi a carta em uma folha de caderno mesmo. Depois daquela tentativa de contato com a revista francesa Enfer, sem sucesso, no fundo tinha esperança de obter resposta de Dio, mas sabia que seria quase impossível. Afinal, nem a banda Dio ou o Black Sabbath haviam tocado no Brasil. Apenas Ozzy Osbourne estava confirmado para tocar por aqui pela primeira vez, no "Rock In Rio", realizado em janeiro de 1985. Fui ao correio do centro de São Paulo e mandei a carta endereçada a Wendy Dio, esposa e empresária do vocalista.

Quase na mesma época, a extinta revista SOMTRÊS veio com uma promoção, sorteando cópias do álbum de estreia do Dio, "Holy Diver". Mais uma vez, fui em frente. Recortei o selinho no canto do anúncio da promoção e mandei a carta. A esperança era a mesma de receber a resposta do Dio. Havia, mas era pequena...

O tempo passou e quand
o quase nem lembrava que havia enviado tal carta, minha mãe deu um grito: "Ricardo, o carteiro deixou um evelopão aqui em seu nome!". Desci correndo e quando abri era o "Holy Diver". Foi a primeira vez que escrevi para uma promoção. E ganhei!... E era do Dio!...

Passado algum tempo, mais uma vez ouvi o berro: "Ricardoooooo!". Bem, se houvesse uma competição de quem grita meu nome mais alto, minha mãe certamente ganharia até do Dio, Rob Halford, Bruce Dickinson, Geoff Tate, Glenn Hughes, Ian Gillan...

Era do correio. Carta do exterior. Não lembrava mais da carta ao Dio, mas quando vi o remetente Niji Productions Inc., aquele rosto carrancudo deu lugar a um enorme sorriso, com a boca ficando maior que a do Coringa, do Batman... Abri-a em menos de 5 segundos e lá estava a foto autografada com os dizeres: "Magic, from Ronnie James Dio". Só pensei comigo: "Consegui!".

A remetente, Sheila, que era responsável pelo Dio Fan Club, ainda escreveu que ficara contente por saber que Dio tinha se saído bem nos charts brasileiros. À época que recebi a carta, escrita em 25 de junho de 1984, a banda Dio estava perto de lançar seu segundo álbum, "The Last in Line", que saiu oficialmente em 13 de julho e se tornou meu preferido, ao lado de "Holy Diver".

E qual não foi a minha surpresa quando o programa "Fantástico" (TV Globo) exibiu com exclusividade o clipe da faixa título, "The Last in Line". O marketing para o primeiro "Rock In Rio" estava forte em relação ao Heavy Metal. Lembro que estávamos na casa de meus avós paternos, o Professor Sóter e a Dona Carmen, como costumávamos fazer aos domingos. Saíamos de lá quase sempre um pouco depois dos "Gols do Fantástico", que eu, meu irmão, o "Seu" Batalha, meu Tio Bosco e o Professor Sóter, não perdíamos. Imagine o espanto quando o apresentador Cid Moreira, com seu conhecido vozeirão, anunciou: "Agora, o musical do ex-cantor do grupo inglês Black Sabbath: Dio". Meu irmão Frederico e eu ficamos paralisados, hipnotizados, enquanto o Professor Sóter, quase "pescando" em sua grande poltrona reclinável favorita, não entendeu nada.

Anos depois, já trabalhando pela revista Roadie Crew, tive o privilégio de entrevistar Ronnie James Dio em algumas ocasiões, além de Tony Iommi, Ozzy e Vinny Appice. Consegui, inclusive, não perder totalmente o lado romântico de fã e com ele fiz questão de pedir mais autógrafos e fotos, como a mais recente, na nova passagem do Black Sabbath pelo Brasil. Tudo bem, do Heaven & Hell...


ARQUIVO: ENTREVISTA

Se alguém disser que admira o vocalista Ronald James Padavona, talvez você não se dê conta de que a pessoa estará se referindo a um dos maiores astros do Rock e do Heavy Metal de todos os tempos: Ronnie James Dio. O norte-americano, que passou pelas bandas The Vegas Kings, Ronnie and the Rumblers, Ronnie and the Redcaps, Ronnie & The Prophets, The Electric Elves, The Elves, ELF, Rainbow, Black Sabbath, Dio e Heaven & Hell, fala nesta coletânea de entrevistas que fiz para a revista Roadie Crew sobre alguns pontos de sua carreira e algumas curiosidades.

Quando e por que Ronald James Padavona adotou o nome artístico de Ronnie James Dio?
Dio: Quando estava no Rainbow, gravando o primeiro álbum da banda, Ritchie me perguntou se eu tinha um nome no meio, ao invés de Ronnie Dio. Disse que sim e passei a adotar Ronnie James Dio. Mas quando tinha uns dez anos de idade e já estava com uma banda, claro que não era profissional, achava que meu sobrenome era muito longo e resolvi pegar Dio, que também é uma palavra em italiano, assim como é meu sobrenome. Só que eu não fazia a menor ideia de que aquilo significava Deus em italiano, pois havia copiado de um membro da máfia, que também se chamava Ronnie Dio. Aí, tempos depois, vieram me falar que eu estava me intitulando Deus. Só que não sou e nunca serei, não tenho nada a ver com isso, é apenas o nome (risos).

Você nunca teve aulas de canto, mas mesmo assim se tornou um dos mestres com seu talento para cantar e possui uma carreira respeitável. Como é viver apenas da música?
Dio: Tenho sorte por ter conseguido viver somente da música e sempre busquei isso minha vida toda. Nunca pensei que pudesse sobreviver financeiramente vivendo da música, mas não foi o dinheiro que me levou a optar por esta carreira e sim a paixão em estar com uma banda tocando para pessoas que gostam do que você faz. Quando comecei, sabia que esta seria minha profissão, mas não fiquei sentado pensando que um dia ia fazer isto. Simplesmente comecei e fui em frente. Sou um afortunado por conseguir fazer o que mais queria na vida, pois muita gente trabalha duro a vida toda em um emprego que odeia. Fui abençoado com o talento e também por ter uma grande quantidade de fãs que querem me ver.

Quando está em turnê, você gosta e tem o costume de examinar o local e fazer o 'soundcheck antes de entrar no palco para fazer o show?
Dio: Claro. Na maioria das vezes, fazemos um detalhado soundcheck. Isto também depende da qualidade do equipamento que você tem disponível em cada casa de shows. Às vezes, não é o apropriado e por isso a equipe leva mais tempo para deixá-lo ajustado.

Como é para você ter a "Ronnie Dio Way" na cidade em que cresceu, Cortland (EUA)?
Dio: É muito legal e mais ainda para os meus pais. Achei extraordinário que colocaram o meu nome naquela rua na cidade que nasci e cresci. Acho até estranho ver meu nome lá, mesmo depois de tantos prêmios que recebi durante minha carreira. Cada um que ganhei tem um sabor especial, mas este da rua é ainda maior.

Um de seus trabalhos favoritos é o Heaven And Hell, do Black Sabbath, mas sempre achei que você preferisse o Rainbow musicalmente, já que sempre faz questão de tocar muitas músicas nos shows com o Dio e cita a palavra "rainbow" nas suas músicas...
Dio: Não, o Heaven And Hell ainda é o meu preferido! E por diversas razões: primeiro, musicalmente, e depois pelos problemas que o Black Sabbath tinha passado e estava precisando voltar com tudo, pois fazia três ou quatro anos que a banda não fazia sucesso. Eu me senti gratificado por poder recolocar a banda no patamar que merecia estar com o Heaven And Hell. O Rainbow é completamente diferente, pois é um tipo de música que vem da cabeça de Ritchie Blackmore. No Sabbath nós todos trabalhamos juntos e a banda tinha uma sonoridade mais simples e que até me facilitava as coisas, na realidade. Criar melodias naquele padrão mais simples era até melhor para mim como vocalista, entende? E sempre gostei de compor e criar com o Sabbath, porque é mais pesado que o Rainbow e era mesmo isso que queria fazer!

Falando agora sobre o começo do Dio, quando você e o baterista Vinny Appice deixaram o Black Sabbath, em outubro de 1982, como chegaram aos outros músicos para a criação do grupo? Quando você sentiu que deveria seguir em carreira solo com o Dio?
Dio: Quando a minha saída do Black Sabbath foi confirmada, e o mesmo já tinha acontecido quando deixei o Rainbow - ambos grupos que sentia que ainda poderia contribuir muito mais, só que não tive escolha e não saí por opção minha -, decidi que seria hora de fazer algo próprio. Não queria mais que outros controlassem a minha vida. Musicalmente, sabia que estava maduro o suficiente para compor boas músicas. Claro que foi importante tocar com Ritchie (Blackmore) e Tony (Iommi), mas queria poder controlar as minhas ações. Vinny e eu saímos ao mesmo tempo do Sabbath e ele concordou comigo que deveríamos criar algo novo. Eu o conhecia bem e, além do mais, havia o fato de ele ser um ótimo músico. Então nós saímos em busca de um baixista e um guitarrista. Fomos para a Inglaterra e acabamos encontrando com Jimmy Bain e foi por intermédio dele que chegamos ao Vivian Campbell. Nos reunimos em um estúdio em Londres e tudo saiu muito bem, pois nos entrosamos logo de início. Vinny curtia tocar com Jimmy e, apesar de jovem, Vivian já era um brilhante guitarrista.

Quais foram as primeiras composições criadas para o Dio?
Dio: Holy Diver e Don't Talk To Strangers. Já tinha feito estas composições e mostrei-as para Vinny, Jimmy e Vivian assim que formamos o Dio. A partir dali as coisas foram saindo da melhor forma possível. Enfim, um momento mágico.

Você se lembra dos trabalhos e das gravações para o Holy Diver?
Dio: Nós trabalhamos arduamente para lançar um bom álbum. A experiência foi bem autoral, pois fizemos tudo do jeito que queríamos e que achávamos que iria funcionar. Aprendemos bastante coisa naquela produção, inclusive com nossos erros, alguns os quais até ríamos depois. Mas os acertos foram maiores. Veja, por exemplo, o som da bateria... Nós construímos uma sala gigante e ela parece que foi gravada ao vivo! Usamos também para o The Last In Line e isso funcionou bem para o kit da bateria de Vinny Appice. As outras coisas foram aqueles negócios de banda mesmo, com todos dando o máximo nos ensaios e na criação em si. Holy Diver não foi um álbum feito em meio a festas ou eventos paralelos. Foram coisas de trabalho, com toda aquela interação momentânea e espontânea que ocorre entre músicos que estão gravando.

Existe alguma música feita nas sessões de Holy Diver que foi deixada de lado?
Dio: Sim, há uma música, mas ela sequer foi finalizada. Apenas a deixamos de lado e eu a odiava tanto que certo dia cheguei ao ponto de destruir aquela fita. Mas nós nunca fomos de gravar algo a mais, somente quando éramos obrigados, como para o Japão, que sempre pede algum bônus. As músicas que gravamos em todos os álbuns foram aquelas que trabalhamos em cima.

E como foi para você - que carregava o peso de ser um ex-Rainbow e um ex-Black Sabbath - sentir uma resposta tão positiva e rápida para músicas como Stand Up And Shout, Holy Diver, Don't Talk To Strangers e Rainbow In The Dark?
Dio: Acho que as músicas falam por si. Elas têm qualidade e o álbum todo é bom. Mas claro que fiquei surpreso com aquela receptividade instantânea dos fãs. Eu realmente não esperava por uma resposta tão rápida e forte. Fiquei muito contente e confiante.

Como surgiu a ideia de tocar o álbum Holy Diver na íntegra e lançá-lo em CD e DVD (Holy Diver Live)?
Dio: A sugestão partiu de nosso agente na Inglaterra, que tinha pensado que poderia ser uma coisa bem interessante tocar o álbum inteiro ao vivo. O Deep Purple tinha feito isto com o Machine Head, o Queensrÿche com o Operation: Mindcrime e outras bandas também realizaram shows destacando um disco inteiro. Desta forma, senti que o projeto deveria ser levado adiante, ainda mais porque o Holy Diver é muito popular e por isso que, ao invés de tocá-lo somente na Inglaterra, acabamos por fazer uma turnê inteira com este apelo em cima do Holy Diver. A ideia sempre me pareceu legal e acredito que os fãs também aprovaram, especialmente porque muitas daquelas músicas não eram tocadas havia bastante tempo.

As apresentações da turnê "Holy Diver Live" trouxeram boas lembranças de seu passado, do início da carreira com a banda Dio?
Dio: Sim! Tudo foi especial, ainda mais porque o Holy Diver foi o primeiro álbum e o que obteve grande reconhecimento para a banda Dio. E não são apenas algumas poucas músicas boas, o disco inteiro é falado e por isso a receptividade dos fãs nos shows foi altamente empolgante para todos. Muitas pessoas nunca tinham nos visto tocando algumas daquelas composições, enquanto outros não as viam ao vivo fazia muito tempo, há mais de vinte anos... A reação foi muito boa, acredito que não somente pelo Holy Diver, mas também porque o set tinha duração de cerca de duas horas e meia, com outras coisas do Dio, do Rainbow e do Black Sabbath.

A arte da capa de Holy Diver apresenta um personagem que acabou virando mascote para o Dio. A ideia inicial era mesmo esta?
Dio: No começo seria apenas mais uma figura que faria parte de um todo na arte da capa. Queríamos mesmo ter uma pessoa e um outro personagem, além de um logotipo bem chamativo e que pudesse cativar de alguma forma os fãs de Metal. Com o tempo as pessoas passaram a se interessar mais e aquele personagem acabou se tornando a mascote, com "vida própria", um nome e sendo parte do Dio.

Por que deram o nome de Murray para a mascote?
Dio: 'Murray, the monster'... Achei que soaria mais monstruoso e, além disso, seria engraçado chamar de Murray aquela figura malvada...

Ainda sobre isto, o dragão que fazia parte do cenário na turnê do álbum Sacred Heart e era um dos pontos altos do show foi chamado de Denzil...
Dio: Na verdade, todo mundo o chama assim, mas seu nome é 'Dean, the dragon'. Por alguma razão, outra pessoa começou a falar que ele era o Denzil e aí pegou, mas o correto é Dean.

Já que estamos falando sobre curiosidades, muitos também dizem que o logotipo do Dio quer dizer Devil. Qual a sua opinião a respeito disso?
Dio: Não tem nada a ver e não foi intencional. Se você olhar de cabeça para baixo até pode parecer que é, mas não estudamos uma fórmula para que nosso logo fosse visto assim, com duplo sentido. Alguém, um dia, resolveu virar de ponta cabeça, ficou analisando e achou que Dio poderia querer dizer “Devil”, mas não tivemos nenhuma intenção de fazer isto.

E sobre o 'maloik', aquele sinal com os dedos - fechando a mão parcialmente e mostrando o dedo indicador e o mindinho - que tanto caracteriza o Heavy Metal. Você se lembra quando começou a fazê-lo?
Dio: É sempre bom ter alguma coisa que você pode repetir várias vezes e as pessoas aceitam. No meu caso, foi porque a minha avó era italiana e usava o 'Maloik', que a protegia contra o olho do mal ('evil eye'). Quando eu era criança, a via usá-lo com freqüência e, assim, desde a fase do Rainbow, comecei a fazer o sinal. Não foram tantas vezes, mas usei-o. Só que no Sabbath, quando eu queria fazer uma figuração de algo mais malvado, fazia o símbolo do 'evil eye' com as mãos. As coisas foram indo e em certo ponto as pessoas já até esperavam que eu fizesse aquele sinal para que eles repetissem e isso acabou se tornando algo mundial.

Este sinal tem conexão com o Egito antigo, onde o chamavam de 'evil eye sign' (o sinal do olho do mal), mas existe alguma ligação com a música Evil Eyes, do álbum The Last In Line, mesmo porque naquele álbum ainda consta a faixa Egypt (The Chains Are On)?
Dio: Entendo sua explanação, mas, com relação àquela música, apenas achei que o título Evil Eye seria interessante. Não fui tão a fundo e ela não tem esta ligação. Não foi nada além de um bom nome. Ela foi escrita a partir de algum filme, não me lembro direito. E a compus até certo ponto bem rápido, já que precisávamos apresentar uma nova música que tivesse certa conexão entre o Holy Diver e o The Last In Line e esta ficou perfeita.

A banda Dio iniciou a "Dream Evil World Tour” tocando em Irvine/CA (EUA), em um evento chamado "Children Of The Night", mas o que pode falar a respeito do projeto de mesmo nome, também chamado de "Hear’n’Aid 2"?
Dio: Será o mesmo projeto beneficente com um álbum nos mesmos moldes do Hear'n'Aid, que fizemos em 1985, para a instituição "Rock Relief For Africa". Teremos uma música completa, de longa duração, com muitos músicos convidados e envolvidos, com diversos vocalistas, como Bruce Dickinson, e também guitarristas. O resto do álbum terá material inédito de outras bandas, como Doro, por exemplo, que já confirmou sua participação. No começo do ano que vem com certeza ele começará a ser produzido.

Você acredita que terá tempo para trabalhar na segunda parte do "Hear 'N' Aid"?
Dio: Para mim é uma certeza que farei, mas ainda não tive tempo suficiente para efetivamente começar os trabalhos. Todo mundo está com a agenda abarrotada e, além disso, não vou compor algo de baixa qualidade, um lixo desprezível só para dizer que a segunda parte foi lançada.

Considerando que você já tocou ao lado de muitos músicos de renome, quem você gostaria de ressuscitar para integrar um novo projeto "Hear 'N' Aid"?
Dio: Sempre declarei em minhas entrevistas que o único músico que gostaria de dividir o palco e tocar junto seria o Jimi Hendrix.


RAIO-X - RONNIE JAMES DIO:
Nome: Ronald James Padavona
Data de nascimento: 10 de julho de 1942
Data de morte: 16 de maio de 2010
Local de nascimento: Portsmouth, New Hampshire (EUA)
Cidade onde cresceu: Cortland
Ascendência: Italiana
Primeiros instrumentos: Trompete e contrabaixo
Esporte praticado na infância: Baseball
Heavy Metal ou Rock And Roll?: "Heavy Metal para mim, mas é tudo parte do Rock And Roll..."
The Vegas Kings (1957): "O começo"
Ronnie And The Rumblers (1957-1958): "Começando a ficar malvado"
Ronnie And The Redcaps (1958): "Cabeças-de-vento"
Ronnie Dio & The Prophets (1961-1967): "Cabeças-de-vento em dobro"
The Electric Elves (1967-1972): "Excelente material"
ELF (1972-1975): "O real começo do que acabei me tornando"
Butterfly Ball And The Grasshopper’s Feast: "Divertido de fazer, ainda mais por ter Roger Glover"
Rainbow ou Black Sabbath?: "Difícil. Não dá para comparar opostos"
Niji Productions: "Minha vida, cuida dos meus problemas e dirige minha carreira"
Dehumanizer ou Mob Rules?: "Dehumanizer"
Ronald Padavona: "Apenas um cara normal, que vive como todo mundo"

Site: www.ronniejamesdio.com

55 comentários:

  1. Parabens.Fez-me lembrar de uma época áurea e de um artista impar. Grande abraço. Bonadia

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pela entrevista brother! Dio é o cara!

    Sucesso!

    Dibih
    Tiberius projecT
    www.myspce.com/tiberiusproject

    ResponderExcluir
  3. Excelente, como sempre!

    Grande abraço e sucesso!

    ResponderExcluir
  4. Hail... Batalha!!!

    Que documento fantástico, adorei as histórias sobre a foto autografada, sobre as promoções... ah animal!!!

    Parabéns pela matéria, perfeito!!!

    Rodrigo Cafundó - Angels Holocaust

    ResponderExcluir
  5. Excelente entrevista o/

    Dio é MESTRE!

    ResponderExcluir
  6. O arco-iris está ameaçado pela escuridão, mas o pequeno mágico matará mais esse dragão.
    Saudações a todos e long live to rock'n'roll!

    ResponderExcluir
  7. Dio, um grande músico e interprete! Sabe se expressar com facilidade e humildade.

    HAIL TO DIO!

    DIO KILLED THE DRAGON!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  8. Dio, eterno Deus do Heavy Metal !!! Pra sempre em meu coração e em meus ouvidos...saudades

    ResponderExcluir
  9. Parabens Sun-Rica Jaba pela ótima entrevista com o melhor voclista do heavy metal mundial de todos os tempos, na minha opinião.E sem palavras para dizer sobre a historia da foto e do lp!Abração hermano!E Dio onde vc estiver,OBRIGADO!
    Ganso.

    ResponderExcluir
  10. Hoje é um dia muito triste para mim e para o Heavy Metal. Como fã de Dio desde a época do Rainbow, e lembrando que há exatamente 01 ano atrás eu e minha esposa estávamos assistindo ao show do Heaven and Hell no Credicard Hall-S.P, fica muito difícil de acreditar que não o veremos mais. Infelizmente o "dragão" levou o nosso mestre que estará sempre em nosso coração. Abração.

    ResponderExcluir
  11. Poxa, mês passado fui pego de surpresa com a morte do Peter Steele, e agora a morte do mestre Dio, que começo de ano triste, fico feliz de pelo menos ter visto ele duas vezes ao vivo. Mestre!!!!!
    The Voice of Metal R.I.P.

    ResponderExcluir
  12. Tenho certeza de que todos que curtimos Heavy Metal estamos tristes,mesmo sem conhecer Ronnie você não acha ninguem falando mal dele e sempre com idéias bem claras.

    Obrigado por tudo Ronnie desde meus 12 anos curto sua música,tive a oportunidade de ir em seus shows - WE ROCK !!!

    ResponderExcluir
  13. E eu fico aqui pensando... po tanta bala perdida no rio e nenhuma acerta um latino, etc...

    Pô, sempre nessa, as coisas boas tem um tendência absurda de ir embora de um jeito cruel... Grande DIO!!! Abraço ai Batalha

    Homer D
    www.myspace.com/hangoverbrazil

    ResponderExcluir
  14. GuilhermeSpiazzi17 de maio de 2010 01:16

    Texto inspirado Batalha! Crescemos adorando certos musicos e em determinado ponto da vida temos o prazer de cruzar com eles. A natureza segue seu curso e infelizmente hoje temos que lidar com a perca de um ícone. Fica a memória, a voz, as músicas e a saudade.

    ResponderExcluir
  15. Conheci o Heavy Metal bem na época que vc citou, início dos anos 80. Foi um tempo marcado por bandas e discos excepcionais que ficarão para sempre na história do HM. E o Dio, certamente, foi um dos principais personagens desse cenário. Um baixinho quen qdo soltava a voz se transformava num gigante. Um mestre imortal que nunca será esquecido. Parabéns pela matéria e pelo privilegio de te-lo conhecido.

    ResponderExcluir
  16. É um dia muito triste para nós, certo ? Já conhecia essas histórias e li todas essas entrevistas como saíram. Dio foi um dois maiores da história e viverá para sempre em nossos cds, vinis, vhs, dvds, fitas, etc... Ainda bem que pude vê-lo ao vivo mais de dez vezes. Homenagem mais do que justa. DIO RULES FOREVER. Um abraço,

    ResponderExcluir
  17. Ficou bom demais o texto, só lembro que este foi o primeiro disco que tive, você me deu de presente de aniversário em 80 e alguma coisa, nem me lembro o ano. Só sei que foi na Woodstock velha, cujo o primeiro andar tinha aquele cabelereiro horrível e a alfaiataria do Pires!

    ResponderExcluir
  18. Perfeito!

    Já tive o prazer de ver dois shows dele.

    Agora o Heaven and Hell estará com nova formação:
    Randy Rhoads, Cliff Burton, Bonham, Dimebag e Dio.

    Dio Rules!!!

    P.S. faremos uma homenagem com um show exclusivo no dia 29/05/2010 da banda que mais toca Dio aqui em Ipatinga MG:
    Banda Cactus de Vidro
    (www.cactusdevidro.zip.net)

    LONG LIVE ROCK'N'ROLL!!!
    REST IN PEACE DIO!

    ResponderExcluir
  19. Muito bom...

    TÔ ouvindo I aqui...

    que perda...

    bah!

    ResponderExcluir
  20. R.I.P. Dio, nós sempre vamos lembrar de você, sua voz vai continuar ecoando em cada casa, bar de rock, show e o caraleo!!!

    Viva DIO!!!!!

    Batalha, grande abraço do, Lito

    ResponderExcluir
  21. Fala Batalha!
    Quem vos escreve é seu amigo Marcelo China (Japa) do RJ. Compartilho com você a imensa tristeza por essa perda imensa. O mundo da boa música, do rock e do metal perderam o maior vocalista de todos os tempos. Apesar de saber da condição dele, sinceramente não esperava o pior e foi um grande choque pra mim. Tive a oportunidade de assisti-lo duas vezes ao vivo, e assim como você acompanhei a brilhante carreira do Dio desde o Rainbow. Parabéns pela excelente matéria e entrevista. Dio, você será sempre lembrado. R.I.P.

    ResponderExcluir
  22. Grande Battle!!! EMOcionado com a entrevista e ainda muito triste por essa perda...

    Ele esta agora passando o som ao lado de Randy Rhoads, Dimebag, Cliff Burton e Cozy Powel para o show de logo mais...

    ResponderExcluir
  23. Parabéns Batalha. O mundo perdeu um de seus mais queridos porta-vozes, mas isso não é motivo para silenciá-lo. Seu legado ainda ecoará por todos os quatro cantos do mundo.
    R.I.P. mestre Dio.

    Guilherme Soares - Itaúna-MG

    ResponderExcluir
  24. Parabéns Batalha, nada mais justo que uma história dessas, num dia tão triste, onde qualquer lembrança desse grande homem é mais que bem vinda!

    ResponderExcluir
  25. Batalha, parabéns por ter a honra de entrevistar nosso grande ídolo, com certeza seria o sonho de todos seus fãs!

    Muito obrigado DIO, sua criatividade e talento foram mesmo uma benção!

    Leonardo Praxedes - Monte Belo/MG

    ResponderExcluir
  26. Long Live Ronnie James Dio - Por Eduardo Junior

    Eu tinha apenas 13 anos quando um primo mais velho ( grande Cesinha ! ) me apresentou o vinil de um baixinho careca cabeludo esquisito chamado Dio, o clássico "Holy Diver". Quando vi o encarte, não tinha noção do poder da voz daquele pequeno e franzino vocalista e do impacto que ele iria me causar.

    Em uma época onde não tínhamos a internet abrindo todas as portas possíveis em termos musicais e em termos de conhecimento, não tinha noção do quanto aquele cara era representativo, importante e lendário e o quanto ele iria significar para mim como músico, como fã de rock n roll.

    Ouvi, ou melhor, devorei aquele vinil, um clássico imortal que abriu as portas para que eu descobrisse o maravilhoso trabalho do Dio e seu legado como um todo, e ficar a par da carreira dele foi um divisor de águas na formação de meu gosto musical e do meu conceito de Heavy Metal.
    Tive a honra de assistí-lo algumas vezes ao vivo, a ultima, em sua passagem em Maio de 2009 por São Paulo junto a sua ultima banda, o Heaven And Hell. Dado momento do espetáculo, recebi um aperto de mão do mestre Dio... impossível conter a emoção naquele momento, porém, de alegria, por estar ali, a poucos centímetros da maior voz que o Heavy Metal já viu, ou melhor, ouviu. Simplesmente um dia inesquecível.

    Hoje, impossível novamente conter a emoção ao ouvir clássicos imortais como “Rainbow In the Dark”, “Holy Diver”, “The Last In Line” e tantos e tantos outros imortalizados pela voz, criatividade e performances inigualáveis deste artista único.

    Sinto-me como se estivesse ficado órfão com a notícia do falecimento desta lenda do Heavy Metal. Logo que me interei da notícia e constatei sua veracidade, minha reação foi avisar alguns amigos fãs como eu por sms e sair sem rumo com meu carro vagando pela cidade ao som destes clássicos, som no talo, e um aperto no peito. por saber que não assistirei mais neste mundo a um show com o Dio, porém, é certo que contemplarei sua obra até o fim dos meus dias e quando tiver meus filhos, mostrarei a eles com todo orgulho a obra desta lenda, deste mito chamado Ronnie James Dio.

    Muitos que não compreendem, que não possuem o Heavy Metal no sangue, poderiam dizer que um marmanjo de 30 anos chorando pela morte de alguém que ele nem conhece é uma idiotice, ledo engano, eu conhecia muito bem o Dio, sua música me proporcionou essa proximidade, e a ele sou grato por essa dádiva, por ser seu fã e seu admirador...

    Ronnie James Dio marcou a minha vida com sua música e com sua energia e a você serei eternamente grato.

    Obrigado mestre, obrigado do fundo do meu coração...

    Você se foi, mas seu legado ficará para sempre vivo no coração dos seus fãs e súditos...

    Descanse em paz...

    PS: Se a banda dos que se foram precisava de um vocal a altura....ele acabou de chegar... Dio, Rhandy Rhoads, Cliff Burton e Cozzy Powel... IMORTAIS !!!

    Long Live Ronnie James Dio !

    ResponderExcluir
  27. UMA GRANDE PERDA PARA O MUNDO DO METAL, DIO SE FOI,MAS SERÁ SEMPRE LEMBRADO COMO UM DOS MELHORES VOCALISTAS QUE O ROCK JÁ TEVE!!!
    OUÇO SUA MUSICAS A MAIS DE 30 ANOS, E SERÃO SEMPRE IMORTAIS!!!

    ResponderExcluir
  28. De Luto!!
    Sabado de madrugada acabamnos nosso show com a musica Mob Rules, estavamos fazendo sem saber, uma homenagem a ELE.
    4 horas depois ele faleceu...va em paz cara!!
    Nosso carinho!!

    obrigado pela homenagem a ELE ,Batalha!!
    Edson "Édão" Graseffi.

    ResponderExcluir
  29. Ainda chocado com a morte do nosso querido e eterno Ronnie James Dio. Desde o começo, pensei que sairia dessa, mas...

    Seu legado continuará enquanto as pessoas gostarem de bons intérpretes, compositores e atitudes nos palcos.

    LONG LIVE DIO! \m/

    ResponderExcluir
  30. DIO OBRIGADO POR TUDO DESCANSE EM PAZ

    ResponderExcluir
  31. Batalha,


    Que dia triste.
    Que bela homenagem.
    Forte abraço,

    Gus

    ResponderExcluir
  32. OBRIGADO RONNIE JAMES DIO, OBRIGADO PELA SUA MÚSICA MARAVILHOSA TER ENTRADO EM MINHA VIDA. BATALHA, SÓ VC MESMO. OBRIGADO.

    MAURICIO CLIFF - REVIOLENCE

    ResponderExcluir
  33. Grande perda...
    Saudades sempre mestre Dio.
    vlw BATALHA...
    abraço

    ResponderExcluir
  34. Excelente Batalha ! Dio fez seu papel no mundo da musica. Viveu e respirou o Metal como ninguem.

    Obrigado pelo legado. You Rock !

    Giba Bressan

    ResponderExcluir
  35. Batalha

    Dio foi uma das minhas inspirações também. Minha banda preferida é Black Sabbath e a fase com Dio sempre foi a de que mais gosto. Se Dio estivesse nos vocais, eu tinha interesse em ouvir, sabia que gostaria.
    Fiquei sabendo ontem da morte do mestre e, até agora, a ficha ainda não caiu. Lendo os depoimentos na Internet comecei a ficar muito triste.
    Nos restou escutar sua maravilhosa voz nos álbuns perfeitos que lançou em 40 anos de carreira.
    RIP Dio. Long live rock´n´roll!

    Abraços,
    Fábio

    ResponderExcluir
  36. Tatiana Batistela18 de maio de 2010 09:08

    Batalha, parabéns!

    Uma linda homenagem para um grande artista.

    Mestre DIO é sem dúvida alguma merecedor de todos os elogios e que deixa uma história feliz e exemplo do que é ser músico e ser humano.

    Sua estrela, com certeza, nunca se apagará.

    Abraços,

    Tatiana Batistela

    ResponderExcluir
  37. Estou arrasado com a morte de Dio. Eu tinha 12 anos (1983)quando comprei de um amigo Holy Diver. O tempo passou, o album, não!

    Impressionante como Holy Diver foi "melhorando" ao longo dos anos. Cada vez que eu ouvia, ele ficava mais harmonico. Ganhava mais sentido na minha vida. Quando Dio decidiu gravar Holy Diver ao vivo, eu percebi a obra prima do Rock Pesado que ele havia composto.

    Sinceramente, quando nosso cantor predileto morre, acho que um pouco de nossa vida morre junto.

    Os cantores de rock pesado ao comporem, constroem uma especie de trilha sonora particular para cada um de nós. Quando eles morrem, finda um pouco de nós também.

    Não tenho vergonha nenhuma em dizer que chorei. Que meu coração esta quebrado.
    Vi Dio em Porto Alegre em 1992. Foi um grande show, junto com o Sabbath. Ainda bem.

    Termino repetindo a frase acima. Estou arrasado com a morte de Dio.

    ResponderExcluir
  38. Estou arrasado com a morte de Dio. Eu tinha 12 anos (1983)quando comprei de um amigo Holy Diver. O tempo passou, o album, não!

    Impressionante como Holy Diver foi "melhorando" ao longo dos anos. Cada vez que eu ouvia, ele ficava mais harmonico. Ganhava mais sentido na minha vida. Quando Dio decidiu gravar Holy Diver ao vivo, eu percebi a obra prima do Rock Pesado que ele havia composto.

    Sinceramente, quando nosso cantor predileto morre, acho que um pouco de nossa vida morre junto.

    Os cantores de rock pesado ao comporem, constroem uma especie de trilha sonora particular para cada um de nós. Quando eles morrem, finda um pouco de nós também.

    Não tenho vergonha nenhuma em dizer que chorei. Que meu coração esta quebrado.
    Vi Dio em Porto Alegre em 1992. Foi um grande show, junto com o Sabbath. Ainda bem.

    Termino repetindo a frase acima. Estou arrasado com a morte de Dio.

    ResponderExcluir
  39. Mauro Fogo Júnior18 de maio de 2010 12:29

    Parabéns Pela Matéria,Batalha!!Ainda Me Lembro da Época em Que Comprei O LP Heaven And Hell,Do Black Sabbath,Na Woodstock Discos, do Nosso Querido Walcir,ainda na Rua José Bonifácio,no já Lonjínquo Ano de 1981,Louco Pra Ouvir Como Soaria O Vocal Poderoso de Dio No Sabbath,1 Banda Muito Mais Pesada que O Rainbow,e O Baixinho Mostrou que Veio Para Comandar O Mundo do Metal,No Sabbath,Na Sua Banda Dio,e No Heaven And Hell!!Tive a Honra de Assistir Seus Shows Por 2 Vezes,e Pude Presenciar O Quão Gentil Ele Sempre Foi Com Seus Fãs e Imprensa!!Batalha,São Pessoas Como Vc que Sempre Foram Nosso Elo de Ligação Com Nossos Ídolos do Rock,Somos da Mesma Geração,Estudamos até No Mesmo Colégio,nos Anos 80, e Te Falo 1 Coisa:Os Deuses Nunca Morrem,e Dio é O Deus Supremo do Metal!!Sei Que é Muito Difícil Pra Nós Mortais,Lidarmos Com Perdas de Pessoas Queridas,mas O Universo Ganhou Mais 1 Deus Supremo,e Espero Sempre que Vc Batalha,Continue a Nos Trazer as Notícias Do Legado de Nosso Mestre!!Mais 1 Vez Parabéns Pela Belíssima Matéria!!Abraço!!

    ResponderExcluir
  40. O Mundo do Metal perde a voz mais marcante,mais bela , mais poderosa!!!
    Sinto que perdi um ente querido, em silêncio profundo... mas com a total convicção que as suas músicas são imortais.

    Uma das entrevistas de Dio que me marcou, foi a do Documentário: Metal- A headbanger Journey, em que o entrevistador e criador do Documentário, em dado momento está entrevistando a Mayhem,e os caras começam a hostilisá-lo, aí ele fala:
    "bem, agora vamos conversar com quem sabe falar, Ronnie James Dio" ... aquilo foi maravilhoso!!!

    ResponderExcluir
  41. EU NUNCA IREI ESQUESER DESTAS PALAVRAS!AGORA MESMO ESTOU ESCUTANDO CATH THE RAINBOW PORQ PRA MIN É A MUSICA MAIS LINDA QUE ELE JA CANTOU NO RAINBOW!OU MELHOR NA CARREIRA!!PARA SENPRE ELE VIVERA EN NOSSOS CORAÇOES!!!!!

    ResponderExcluir
  42. Parabéns pela crônica Batalha! Muito boa a crônica e também a entrevista! Certamente foi a maior voz do Rock de todos os tempos! Descanse em paz Dio! Talvez nem seja necessário, mas sugiro uma ampla matéria sobre o Dio na Roadie Crew!

    ResponderExcluir
  43. Muito bom saber que descobrimos cada vez mais fãs 100% assumidos do Ronnie James Dio, isso é muito bom pra quem começa a curtir o som agora e quem já curte há algum tempo! Me peguei chorando duas ou três vezes em silêncio por causa da morte do Dio, quando percebi meu rosto já estava cheio de lágrimas... É a segunda vez que me pego chorando pela morte de alguém em toda minha vida, mas Dio não merece só lágrimas, merece respeito, cada vez mais admiração, a magia de suas músicas contagiando legiões! Dio, com certeza será, como músico e como pessoa, inigualável, para sempre!!! Ronnie James Dio terá sua obra imortalizada por nós fãs ainda mais a partir deste terrível acontecimento! Na minha opinião, ele se foi cedo demais, tendo em vista que todos nós conseguiamos ver sua vontade de continuar, sua incansável luta, porém todos nós podemos ter a certeza que nada disso foi em vão! Dio continuará imortalizado em nossos vinís, memórias e corações! Rest in Peace, our eternal Ronnie James Dio!

    ResponderExcluir
  44. Olá Ricardo, saudações!

    Cara, estamos de luto.

    Eu sempre falo de você aqui em Belo Horizonte, claro que todos já te conhecem pela suas palavras maravilhosas.



    Batalha veja isto:
    http://noticias.r7.com/blogs/andre-forastieri/2010/05/17/ronnie-james-dio-o-deus-ridiculo-do-rock/

    Estou chocado!


    Abraço guerreiro
    ______\,,/_______

    ResponderExcluir
  45. Sou um grande fã de seu trabalho na Roadie Crew e fiquei emocionado com sua trajetória como fã do Dio e com a bela homenagem feita nesse post. Abraços!

    ResponderExcluir
  46. Batalha fiquei muito emocionado com suas palavras.Certas coisa são eternas...Dio se foi...mas sua voz continuará imoratlizada, sendo ouvida em todos os cantos do nosso planeta mas, principalmente, no coração de todos nós. Resta-nos buscar o consolo ouvindo os cds e dvds que ele lançou. Talvez seja uma maneira de nos sentirmos mais próximos dele. Valeu Batalha e que Deus te abenções muito!!

    ResponderExcluir
  47. Obrigado Batalha...quarta feira, 19/05/2010, finalmente consegui chorar. Suas palavras reafirmaram minha condição de humano.
    Dio agora é um imortal ao lado de David Byron.
    Alberto B. Vidal.

    ResponderExcluir
  48. Animal, Batalha! Sem palavras!

    ResponderExcluir
  49. Patricia Basilio20 de maio de 2010 22:54

    Caro Batalha, realmente muito boa a entrevista e a homenagem ao nosso eterno e inestimável Dio! Hj meus olhos encheram-se de lágrimas ouvindo a música Heaven and Hell... Engraçado, no fundo tenho certeza que de onde o baixinho estiver, ele está pensando: "Lembrem-se de mim como fui, apenas um homem normal que gostava de cantar heavy metal! E não chorem pois estou bem! Não sofro mais!" Nós é que estamos consternados diante dessa terrível partida...

    Saudades eternas e LONG LIVE DIO!

    ResponderExcluir
  50. Vou ser breve...
    Ontem tive um sonho...
    Neste sonho, estava na frente de minha casa e em frente onde eu moro tem uma casa de um amigo meu de dois andares, só que neste sonho não era esta casa e sim uma pequena casa de madeira com um quintal enorme e ao lado havia uma enorme pilha de madeira com uma altura de 4 metros mais ou menos, e no topo desta pilha havia algumas pessoas analisando o local. Dentre essas pessoas haviam 4 deles que me pareciam familiar, minha namorada também estava no sonho, e foi ela que comentou "Nossa aquele ali não é o ..." (Na vida real minha namorada não conhece o Black Sabbath e nem o Dio.) Voltando ao sonho, quando ela mau terminou de falar aquela frase eu disse "Dio você está vivo!!" e as lágrimas começaram a cair, neste momento foi de encontro a ele, só que de repente acontece uma coisa inesperada, Dio, Iommi, Butler e Appice despencam lá de cima e todos ficam de pé, menos um deles, justamente o Dio, minha namorada então diz: "Você não se machucou?. Sem saber o que ela disse, Dio pergunta a um intérprete e ele diz a ele "Você está bem?". Ele então dá um soriso e agradece pela preocupação, e nisso ele me vê chorando e novamente dá um sorriso e faz aquele tradicional gesto com a mão "Devil's horn" e meu maldito celular desperta eu eu me acordo.

    Dio sentiremos muita sua falta!!!

    ResponderExcluir
  51. Um real headbanger que mostrou o seu valor e que irá ficar na nossa memória por toda a eternidade.

    ResponderExcluir
  52. SIM SIM AGORA EU SENTI MESMO O GRANDE E BONDOSO E CAVALHEIRO CUJA A VÓZ ABRIU UMA CRATERA NA TERRA SE FOI REALMENTE EU VI UNS MATERIAS DE SEU SEPULTAMENTO E VI QUE NÃO SÓ FÃS MAIS PODEROSOS DO BOM E VELHO ROCK IN ROLL FALARAM BEM DO DIO ENTRE ELES ESTAVAM IRON,KISS,BLACK SABBHA,JUDAS,WHISTESNAKE,MOTHORED,QUEEN,TRHIUNF,AC/DC ENFIM REALMENTE OS PODEROSOS QUEM CURTE SABE DO QUE ESTOU FALANDO VALEO DIO ESTAMOS COM SAUDADES E WENDY OBRIGÁ POR TER CUIDADO DO NOSSO CAVALEIRO DA PAZ MEUS SINCEROS PESAMES!

    ResponderExcluir
  53. Oi Batalha tudo bem meu irmão? Eu te conheci aqui em Recife
    faz alguns anos na Blackout do João Marinho...Sobre o Dio, a
    minha história começou em 79 quando ouvi o lp `duplo´On Stage do Rainbow,logo a matadora Kill The King.Eu,com 16
    anos,fiquei bem impressionado com a voz daquele desconhe -
    cido(prá mim)chamado Ronnie James Dio,Pois fazia apenas dois anos de Rock e ninguém havia me mostrado o Rainbow.A par -
    tir dali,fiquei ligado em Dio e no ano seguinte,o cara foi pró Sabbath,fêz uma excepcional carreira solo,voltou pró rebatizado Heaven And Hell,comemorou os 30 anos do disco
    H.A.H.em um grandioso show no W.O.A,e depois se foi,me deixando muita saudade e ótimas lembranças daquele baixi -
    nho simpático,amigo,um Gentleman e que um dia, foi grande o suficiente prá nos deixar o que deixou.Dio,you live for ever in the my Headbanger heart!Holdings,Cyro Rock ´n´Roll.

    ResponderExcluir